Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A vida de Mala Aviada

A vida de Mala Aviada

Desalojar de ideias #66

quando encostas a tua cabeça no meu ombro e depois desces para o meu peito. quando o molhas com as tuas lágrimas frágeis que nunca quis derramar por motivo algum. quando me dizes que não é a mim que queres perder mas sim o resto do mundo. quando me dizes que sou eu, sempre fui eu. por  algum motivo, todas estas coisas dão ao meu coração mais trabalho que o seu simples bombeamento sanguíneo.