Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A vida de Mala Aviada

A vida de Mala Aviada

A vez em que tu foste e eu fiquei #11

 

E não sei porquê, mas hoje, hoje de todos os dias é o que mais me tem magoado. Murros adentro, choro avulçado, compulsivo, bofetadas de vermelhidão. E ele diz grow grow... e eu digo run run. Sinto-me comprimida, enclausurada numa dor tão profunda. Não, não acho que seja só o facto de ela ter ido embora. É o facto dos meus verdadeiros amigos serem poucos e estarem longe neste preciso momento. E sinto-me tão só, tão só... Como aquela colher que fica na caneca depois do café ter sido bebido. Não consigo ver claramente, não consigo ver sem água nos meus olhos. Não no dia de hoje. E são duas da manhã e fico assim, a ouvir David e a pensar no que seria de mim sem ti.

 

Hey, espera, aqui está. Sou eu sem ti. 

3 comentários

Comentar post