Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A vida de Mala Aviada

A vida de Mala Aviada

Possivelmente, serei uma destas pessoas: ando de mão dada com a vontade de passar a pente fino toda a arte contemporânea - e a isso, minhas caras, chama-se altermodernidade. Feliz por conhecer-te, finalmente.

 

«O "flâneur", aquele que percorre a cidade, deixando-se perder na sua observação. Isto era no século XIX, hoje as cidades não chegam - o "flâneur" de uma altermodernidade corresponderá a um nómada global, ou, em rigor, a um errante cultural, aquele que procura o inverso do enraizamento absoluto, ou seja, aquele que põe as suas raízes em movimento, encenando-as em contextos e formatos heterogéneos, negando-lhes qualquer valor como origem, traduzindo ideias, transcodificando imagens, transplantando comportamentos, trocando, mais do que impondo. Um nómada cultural que transforma a "flânerie" numa técnica de geração de criatividade e conhecimento.»

 

in Público  

(http://ipsilon.publico.pt/artes/texto.aspx?id=226994)

1 comentário

Comentar post