Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A vida de Mala Aviada

A vida de Mala Aviada

Gratificante.pequena.bexiga.

 Conheces aqueles dias em que o calor se enrola em ti quando nesse dia, precisamente, não queres que ele se enrole? Parece que tem uns braços tipo homem elástico e te dá voltas e voltas: hoje está um desses dias. Um desses dias que eu oferecia de ampla vontade a quem o quisesse; um desses dias onde eu trocava - ia para Londres onde nem perto de sol deve estar (estreou ontem Harry Potter e estava a chover...), onde as casas embutidas umas nas outras com aparência de top model me agrada mais do que qualquer outra variante arquitectónica - não fosse terra de sua majestade.

 

Encontrei três fotos de modelos que têm precisamente o corte de cabelo que eu quero: é irritante porque ainda na quinta fui ao cabeleireiro (aquele que passa tanto por loja de sofas, farmácia e loja de aventais) e a menina me perguntou se tinha algo em mente: não, respondi eu. Um não completamente gordo e assertivo; é só as pontas e ver o que posso fazer para ele crescer mais um bocadinho. Grande e volumoso já ele é, mas estas fotos mostram exactamente o que eu quero fazer dele (uma mais do que as outras, onde a modelo está com o olho direito tapado por um volume de caracóis semelhante aos meus, com um ar de ser feliz por tê-los). 

 

Hoje descobri que, ao acaso de não encontrar emprego depois do curso em museus, galerias, editoras, câmaras municipais, centros de investigação, universidades, escolas privadas e públicas, projectos, turismo, e por aí em diante vou lançar-me na carreira de assistente. Acho que é um trabalho dignificante (isto faz-me lmebrar que ainda não comprei "O Diabo Veste Prada" o que me corrói as veias estilísticas...) de forma a que poderei usar os meus três palmos de cara com BBB e o meu exclusivo dote de agendação, arrumação e organização: neste campo, raciocinei eu hoje, não conheci nenhuma vez alguém mais perfeccionista que eu. Descubro métodos e invento-os, multiplico-os por cem e dão frutos a longo, médio e curto prazo. Isto é naquilo a que sou boa (para além de estudar e fazer notas). E é isso que quero fazer se não houver um sítio para mim no mundo - é inacreditavel, mas acho que nem toda a gente tem um sítio no mundo.

 

Se for à Suíça, vou dia 22 e fico lá até dia 27, já que o casamento da minha querida Marie - mentora de vida - está agendado para Domingo, 26. Dúvido. Talvez venha ela até mim depois da lua-de-mel em Itália - não estou com paciência para viajar. Talvez em Agosto quando regressares, veremos. Já que vais a Paris, traz-me uma recordação das melhores, postais artisticos que me façam sonhar e um sorriso na cara sem doença nenhuma na bagagem (tu vais mas eu não fico descansada). Enquanto andares por aquelas bandas planeio fazer listas de vida, arrumar a minha bagagem, estudar e usufruir de mim mesma. Acho que me vou dar ao luxo de acampar e usufruir de tempo pour moi seul. Isto inclui ler o livro da Nina Garcia e inspirar-me, acabar com o Woody e inspirar-me, acabar com o A ferver e inspirar-me ... Muita coisa a ser sabida.

 

Voltar a ver Benjamin Button, ouvir um enchente de artistas novos que suscitam formigueiro nas orelhas vai ser uma das minhas prioridades ao mesmo tempo que tenho que ir tirar o CU e renovar o cartão jovem - eu nem sabia que era este ano. Com isto tudo, espero que a minha conta bancária cresça enormemente com as horas de trabalho que vou fazer até ao fim do mês de Julho e mais as que tenho de receber do mês passado.

 

E agora, se me dás licença, vou pee que estou sentada numa posição muito estranha para uma jovem de dezanove invernos.