Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A vida de Mala Aviada

A vida de Mala Aviada

Como?

Como é que há pessoas tão desumanas, tão enfiadas no seu próprio cu que não conseguem pensar um bocadinho que seja no bem estar dos outros?

 

Tudo isto para dizer que hoje a Alex encontrou um pobrezinho de cão, com coleira, em mau estado e muito assustado no meio da estrada que liga Vila Flor a Macedo. Claro, macia do coração, não vinha ninguém atrás, parou o carro e ele desatou a ganir como se ela fosse dona dele; não resistiu e enfiou-o no carro com ela com medo que ainda alguém pudesse sofrer algum acidente e/ou matar o bicho desta forma tão insensível e cruel. Passou o dia confortável no carro, com os quatro vidros abertos, lata de comida e muita água! À hora do almoço foi dar um passeio e não deu mais porque a Alex teve que voltar para a clínica para trabalhar. Já o levou ao veterinário e parece estar tudo ok!

 

E agora numa de desabafo: para mim, abandonar um animal é tão cruel como abandonar uma criança! Pior ainda porque o animal não tem direitos nem há leis que o protejam enquanto uma criança será sempre acolhida sob a asa da justiça e humanidade. Um animal não tem voz para contar o que se passou e de que foi vitima, o que lhe fizeram, disseram ou o que suportou. Porque é que as pessoas não põe a mão na consciência? Não percebem que para além de ser um ser vivo que sente tal como nós acaba por ser um perigo para a saúde pública deixar assim os animais? Existem soluções várias para não ter que chegar ao ponto de os deixar por aí ao Deus dará!

 

Bom, e não esticando a corda, o Salvador Bornes (que nome!) de momento está em minha casa lá em cima, com os outros cães do meu pai. Vamos tentar arranjar uma casa e um dono bom, que o possa ter em boas condições e lhe proporcione uma vida feliz! Este fim-de-semana já o vou conhecer!

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.